Na Boca do Povo - Seu Telejornal Online
MENU

Dono de Academia com depressão tira a própria vida em Foz

Dono de Academia com depressão tira a própria vida em Foz

Na manhã desta segunda-feira 04/02/2019, por volta de 06:00 da manhã, funcionários de uma Academia no Centro de Foz, ao abrirem o estabelecimento, constataram que o proprietário do local havia tirado a própria vida. Segundo informações obtidas por amigos, a vitima estava em profunda depressão. Foi acionado a Delegacia de Homicídios, Policia Científica e o Instituto Médico Legal. Após a perícia, o corpo foi encaminhado ao IML, e posteriormente liberado aos familiares. A  equipe Na Boca Do Povo deseja externar os nossos sentimentos aos familiares e amigos e que Deus traga conforto aos corações enlutados. Nosso Site não faz matérias sobre Suícidio, mas o índice de Suícidio em nossa região é assustador e pelo fato de não ser divulgado, a maioria das pessoas não ficam sabendo, e por eese motivo, hoje queremos divulgar essa matéria para que as pessoas fiquem mais atentas as atitudes de seus parentes e amigos. Leiam essa matéria:

O Suícidio precisa ser visto com atenção. Uma Campanha de Prevenção ao Suicídio foi destaque em setembro de 2018, porque é mais grave do que as pessoas imaginam
O mês de setembro teve início com uma proposta de conscientização trazida por alguns órgãos de promoção da saúde, com o tema prevenção do Suicídio.

Antes de mais nada, essa campanha quer trazer o assunto do suicídio para a discussão popular com o intuito de prevenir mortes que poderiam ter sido evitadas. A quantidade de vidas perdidas ultrapassa o número de vítimas da AIDS e de alguns tipos de câncer. Ou seja, tornou-se alvo de preocupação por comprometer tantas pessoas de diversas idades, classes sociais, cores etc. É hoje um assunto de saúde pública.

Um dado interessante que traz certa perspectiva de sucesso com essas campanhas é o fato de que nove em cada dez casos poderiam ser evitados, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Ou seja, o assunto deve ser amplamente debatido e os preconceitos esclarecidos, para que o maior número de pessoas seja alcançado e indivíduos sejam salvos de um possível Suicídio.

Identificar essas pessoas

Como identificar alguém que tenha ideação suicida? É possível ajudar de algum jeito?
Para iniciar o assunto e já fazer uma boa provocação sobre o tema, vou dizer que qualquer ser humano é passível de pensar sobre a morte e desejá-la em casos específicos da vida. Sim. Eu e você podemos passar por situações fortes na vida ou apresentar alguma disfunção biológica que nos faça, em algum momento, pensar em morrer. Ou simplesmente, podemos achar os dias muito cinzas, perder o encanto pela vida e o sentido no existir. As dores existenciais, que são aquelas dores na alma, não localizadas por nenhum exame de imagem, podem ser insuportáveis e fazer o indivíduo desejar a morte.

Atentar-se para essas realidades já é um grande passo no combate ao preconceito que existe em relação a doenças como depressão e bipolaridade, por exemplo, e que são estopins para o suicídio.

Os sinais

Existem pessoas que verbalizam suas dores e dão dicas de que pensam no suicídio, dizendo frases como: “preferia estar morta”, “não deveria ter nascido”, “o mundo seria um lugar melhor sem mim” ou até aquelas frases mais inocentes como “queria sumir” e “desejo dormir e não acordar mais”. Esses são alguns sinais de que o indivíduo não está bem e precisa de ajuda.

O mais indicado seria um acompanhamento psicoterapêutico e, se necessário, um psiquiatra, que vai avaliar a necessidade de medicamento. Aos poucos, a população começa a se conscientizar de que os cuidados com a saúde psíquica são tão importantes e necessários quanto os cuidados com a saúde física. Assim, um medicamento para alguns casos pode ser extremamente eficaz no combate às doenças como depressão, que pode levar ao Suicídio. 

Voltando a falar sobre como identificar pessoas que tenham ideação suicida, existem também aquelas que não costumam expor o que sentem. Nesses casos, a observação dos comportamentos será mais valiosa que as frases ditas.

Quando alguém apresenta mudanças comportamentais que persistem por muitos dias, o sinal de alerta pode ser acionado, ou seja, se alguém que costuma ser falante, risonho e sociável, passa a ficar mais retraído, isolado e triste, certamente algum tipo de ajuda está precisando.

X