Na Boca do Povo - Seu Telejornal Online
MENU

Irmãs levam o Brasil ao pódio em etapa da Copa do Mundo de Canoagem Slalom, na Polônia

Irmãs levam o Brasil ao pódio em etapa da Copa do Mundo de Canoagem Slalom, na Polônia

Medalhas em família: as irmãs Ana Sátila e Omira Estácia garantiram pódios para o Brasil, neste domingo (1º), em Cracóvia, na Polônia, durante a segunda etapa da Copa do Mundo de Canoagem Slalom. Ana conquistou o bronze no C1 (canoa) Feminino e Omira, a prata no K1 (caiaque) Extreme Cross.

As duas treinam no Canal Itaipu, dentro da usina de Itaipu, em Foz do Iguaçu, cidade-sede da seleção permanente de canoagem slalom. A Itaipu Binacional é uma das entidades apoiadoras da canoagem brasileira e patrocina o Projeto Meninos do Lago, voltado ao ensino da modalidade esportiva a jovens matriculados em escolas públicas de Foz.

Ana levou a medalha de bronze com o tempo final de 101.73 segundos. Foi o segundo bronze de Ana Sátila na canoa em Copas do Mundo. Em 2015 ela obteve o feito na disputa da primeira etapa em Praga, na República Tcheca. Ana também tem uma prata no K1 Feminino, obtida em 2016, também na capital tcheca.

“Estou muito feliz. Esta é apenas a segunda etapa e temos muitas oportunidades pela frente ainda”, disse Ana. Na temporada de 2018 ela já havia conquistado uma prata na semana passada, no K1 Extreme Cross Feminino, na Eslováquia. Na Polônia, ela optou por não participar desta categoria e ficou na torcida pela irmã, que fez bonito e terminou em segundo na mais nova categoria da canoagem slalom. Ela ficou atrás somente da russa Polina Mukhgaleeva. Foi a primeira vez que Omira subiu ao pódio em Copas do Mundo.

“É um momento único. Já tinha comemorado a medalha da minha irmã e agora, com a minha, fico duplamente feliz”, diz Omira. A irmã caçula de Ana Sátila seguiu seus passos e aos poucos começou a se destacar nas categorias juniores, em competições brasileiras e internacionais, até a sua máxima conquista, agora, na Polônia.

O coração da mãe, Márcia Vargas, bateu mais forte e se encheu de alegria com suas meninas. “É muita emoção. Fiquei muito orgulhosa. As duas estão colhendo o fruto de todo um trabalho”, afirma.

Família talentosa

Mineira de nascimento (Iturama-MG), com poucos anos de idade Ana Sátila foi morar em Primavera do Leste, no Mato Grosso, onde conheceu a canoagem. Em 2012, mudou-se para Foz do Iguaçu, no Paraná, em busca de crescimento esportivo e foi acolhida pelos canoístas do Projeto Social Meninos do Lago.

Na época, sua mãe e Omira também foram morar na cidade. A irmã mais nova também tomou gosto pelo esporte e iniciou seus treinamentos no Canal Itaipu, aproveitando a estrutura mantida pela Itaipu Binacional. Em competições, ambas representam a cidade e o Instituto Meninos do Lago.

O talento familiar é um presente para o esporte brasileiro, segundo o presidente da Confederação Brasileira de Canoagem, João Tomasini Schwertner. “A cada prova Ana cresce. Estamos muito confiantes no resultado dela e principalmente vendo que ela estará muito bem preparada para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. E agora temos também a Omira, mais um entre vários outros nomes na canoagem com grande potencial.”

Felipe Borges chega à semifinal

Com o tempo de 100.1 segundos, o atleta iguaçuense Felipe Borges ficou no 25º lugar depois de disputar a semifinal do C1 Masculino. Na mesma categoria disputaram Kauã Silva e Gustavo Selbach Júnior. Já pelo K1 Masculino, Pedro Gonçalves, Fábio Rodrigues e Guilherme Mapelli ficaram nas classificatórias.

O foco agora é a terceira etapa da Copa do Mundo de Canoagem Slalom, em Augsburg na Alemanha, que acontecerá a partir de 6 de julho.

Equipe na Europa

Atletas
Ana Sátila
Omira Estácia
Pedro Gonçalves
Fábio Rodrigues
Guilherme Mapelli
Felipe Borges
Gustavo Selbach Jr.
Kauã Silva

Equipe Técnica
Cassio Ramon Petry
Ricardo Taques

X