Na Boca do Povo - Seu Telejornal Online
MENU

Polícia investiga mortes em série no Litoral do Paraná: Cabeças foram arrancadas

Polícia investiga mortes em série no Litoral do Paraná: Cabeças foram arrancadas

A Polícia Civil de Paranaguá, no Litoral do Paraná, investiga duas mortes com características muito parecidas: Dois homens foram encontrados decapitados boiando no Rio Emboguaçu com uma diferença de 15 dias. O primeiro caso aconteceu em 25 de outubro, quando um pescador notou o cadáver e chamou os bombeiros, que o retiraram da água, no fim da Rua Pedro da Silva, no Porto dos Padres.

Já a segunda vítima foi resgatada do mesmo rio, no bairro Beira Rio, na manhã desta quinta-feira (8) depois que moradores acionaram a Polícia Militar relatando a ocorrência. As cabeças dos dois homens não foram encontradas até o momento.

Segundo o delegado Nilson Diniz, responsável pelas investigações, as semelhanças entre os assassinatos chamaram a atenção da polícia. “São homicídios cometidos basicamente com o mesmo modus operandi e isso está sendo levado em consideração. Nesse momento, estamos realizando oitivas com diversas testemunhas. Já temos uma linha de apuração, que segue o fato de que a vítima mais recente estaria sendo investigada pelo crime de estupro. Pode ser que isso tenha motivado a morte. Há a possibilidade do primeiro rapaz achado morto também ter acusação de violência sexual”, disse ele em entrevista à Banda B.

Para o delegado, a decapitação é uma ‘assinatura’ do autor ou autores do homicídio, um modo de dar um recado. “Separar a cabeça do corpo parece ser uma forma de passar uma mensagem. É como se dissessem ‘se você praticar um crime sexual, essa será a consequência'”, completou.

Diniz ainda afirmou que a polícia apura se apenas uma pessoa foi responsável pelas mortes ou se há mais envolvidos. “A princípio, nós achamos difícil ser um ‘serial killer’ porque as vítimas não tinham um porte pequeno, então não seria fácil para só um suspeito fazer tudo sozinho. Isso, no entanto, precisa ser confirmado. Nós já estamos identificando possíveis autores e, nos próximos dias, devemos trazer avanços nesse sentido”, finalizou.

A Polícia Civil continua a investigar o caso.

Os corpos
O corpo encontrado ontem apresentava várias perfurações, principalmente pelos braços, provocadas possivelmente por uma faca. O homem, que aparentava ter entre 30 e 40 anos, vestia uma camiseta verde e cueca. O nome de uma pessoa desaparecida na região foi repassado para os policiais.

No primeiro caso, o cadáver estava com a região do tórax aberta e tinha ferimentos nas pernas causados por faca. Familiares reconheceram a vítima por conta de uma tatuagem no braço. O rapaz, de 31 anos, sumiu três dias antes de ser encontrado morto.

Como a cabeça não foi achada, para liberar o corpo no Instituto Médico Legal, onde foi recolhido, a família terá que aguardar exames específicos.

X