Na Boca do Povo - Seu Telejornal Online
MENU

PROFISSIONAIS DAS UNIDADES DE SAÚDE RECEBERÃO CAPACITAÇÃO SOBRE A DENGUE

PROFISSIONAIS DAS UNIDADES DE SAÚDE RECEBERÃO CAPACITAÇÃO SOBRE A DENGUE

Começa na próxima semana uma série de capacitações sobre a dengue voltadas a médicos, enfermeiros, agentes comunitários de saúde, auxiliares e técnicos de enfermagem que atuam nas 28 Unidades Básicas de Saúde do município.

As atividades iniciam pelo Distrito Nordeste, nas unidades São João, Três Bandeiras, Sol de Maio e Lagoa Dourada, que receberão a visita de representantes da Secretaria de Saúde, para capacitação com palestras.

“A intenção é qualificar os serviços e atender melhor os moradores, para que eles não precisem recorrer as UPAS em caso de suspeita de dengue. Todo o atendimento deve ser prestado pela unidade de saúde”, esclareceu o secretário da pasta Nilton Bobato, que esteve reunido na manhã desta quinta-feira com os representantes da Atenção Básica, Vigilância em Saúde e Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

Segundo a responsável pelas Arboviroses da Vigilância em Saúde, Mara Rípoli, a capacitação vai incluir uma atualização de informações sobre classificação de risco, atendimento ao fluxo e manejo clínico de pacientes com dengue para médicos e equipes de enfermagem.

Num segundo momento os agentes comunitários de saúde (ACS), receberão reforço nas orientações para identificação de pacientes com sintomas e encaminhamento, além das visitas domiciliares. “Os agentes tem uma participação fundamental evitar óbitos por dengue”, disse Mara Rípoli, responsável pelas Arboviroses da Vigilância em Saúde.

A capacitação acontece duas vezes ao ano, e deverá atingir inicialmente o distrito nordeste, com maior índice de infestação. Seguem ao longo do mês com trabalhos nos distritos norte (6 unidades), sul (5), leste (5) e oeste (5), além das duas UPAS, hospitais, além da rede privada.O treinamento acontece em horários alternados para não influenciar no fluxo de atendimento das unidades.

O desafio da Secretaria é o de classificar e identificar o quanto antes cada caso (dengue A, B, C ou D) e como os profissionais nas unidades podem e devem proceder. “Esse procedimento já existe e é aplicado na rede, mas sempre é bom reforçar essas ações e trazer o que recomenda todos os anos o Ministério da Saúde. Já estamos há dois anos sem epidemia, por isso retomar essas informações nunca é demais”. O intuito é promover, segundo Mara, maior atenção na prevenção.

Dengue
Dentro do ano epidemiológico, iniciado em agosto de 2018 e que segue até julho de 2019, já foram notificados mais de 4mil casos, com 514 confirmados.

X